Arquivo para categoria dicas

As razões para crer – Coca-Cola

A Comunicação Social passa por um momento de utilização estratégica de suas diversas áreas.

Organizações de sucesso não optam por utilizar somente uma área da Comunicação – Jornalismo, Publicidade e Propaganda ou Relações Públicas. A tendência é que se organize um mix comunicacional, ou seja, que se adote as principais estratégicas de cada área da Comunicação que se encaixem em sua empresa.

Jornalismo não funciona sem Relações Públicas, e vice-versa, como podemos observar nas grandes assessorias de imprensa no mundo inteiro.

Propaganda não faz milagre.

Relações Públicas não joga “para debaixo do tapete” o que quer que seja.

Jornalismo não existe apenas para preencher o jornal mural de uma organização.

É preciso muito mais para vencer e estar no topo.

Esta é a lição que a Coca-Cola nos dá.

Abordando em sua propaganda os aspectos humanos, sensíveis e que realmente fazem a diferença para seus consumidores, a empresa conquistou e vem mantendo sua posição nas marcas mais lembradas e relevantes do mercado.

A Coca-Cola apostou em uma linguagem simples, porém muito íntima. “Mãe, você é essa Coca-Cola toda” coroa a estratégica adotada pela empresa. O apelo ao emocional, ao citar a mãe, e a Coca-Cola, que é uma bebida gostosa e geralmente usada em celebrações, eventos familiares e especiais etc., leva o espectador e consumidor a explorar seu lado sentimental.

Uma das mais recentes propagandas da Coca-Cola foi criada em comemoração aos seus 125 anos.

A peça, “Hay Razones Para Creer En Un Mundo Mejor”, foi inspirada em uma pesquisa feita pela empresa, em 2010, sobre o “estado do mundo”, conforme descreve em seu canal no Youtube.

Segundo ela, “os dados obtidos põem em evidência que são milhões os que querem viver tranquilos e sem medo”.

Ou seja, que na realidade, o mundo não está tão perdido assim como às vezes pensamos, e que é preciso lembrar sempre do outro lado frente às piores situações.

Ficou com vontade de ver? Clique aqui para assistir ao vídeo direto do canal da Coca-Cola no Youtube.

O sucesso da Coca-Cola deixa claro que existem, sim, razões para crer na Comunicação bem feita e sensível!

 

Fernanda Markus, estudante de Relações Públicas, trabalha na Bee Comunicação Associados.

Anúncios

Deixe um comentário

Alguma coisa acontece no meu coração

Nesta terça-feira, 25 de janeiro, a Cidade de São Paulo completa 457 anos.


É um aniversário especial, já que…

…temos 11.037.593 milhões de habitantes.

…19 milhões de m² em áreas verdes.

…a segunda maior frota de helicópteros do mundo só perdendo para Nova York.

…o quinto maior zoológico do mundo.

…somos uma das regiões com o mais alto desenvolvimento humano, de acordo com a ONU.

…temos 8,7 milhões de desembarques ao ano em nossos aeroportos, segundo a Infraero.

…somos a 4ª cidade mais cortês do mundo, segundo a Reader’s Digest.

…somos um dos maiores centros geradores de tendências em Moda do Mundo.

A Prefeitura de SP organizou diversas atrações culturais para comemorar o aniversário dessa cidade que não pára de crescer e abrigar pessoas de todas as crenças e culturas! Clique aqui para conhecer as principais atrações dessa festança.

A Bee Comunicação Associados tem muito orgulho de fazer parte dessa cidade tão especial!

Parabéns, São Paulo!!!

Participe do Concurso Troféu Narciso http://migre.me/3qvIw

Fernanda Markus, estudante de Relações Públicas, trabalha na Bee Comunicação Associados.

2 Comentários

Black Pixel Project: quanta energia poderíamos economizar?

Consciência ambiental. Responsabilidade social. Preocupação com o meio ambiente.

Conceitos como estes são fundamentais para que possamos melhorar nossa qualidade de vida, e preservar o meio em que vivemos, que atualmente sofre consideravelmente com os excessos praticados por anos de desinformação no que diz respeito a como cuidar do planeta Terra, e porque isto seria importante.

Pequenos gestos também são fundamentais quando se espera mudanças a longo prazo. Reciclar nosso lixo, preferir utilizar materiais orgânicos, optar por soluções sustentáveis, como andar de bicicleta ou transportes coletivos, além de dar carona etc. são opções práticas, palpáveis e capazes de transformar nossa realidade.

Pensando nisso, o Greenpeace lançou o Black Pixel Project.

A ideia é simples, sem custo e acessível. Basta entrar no site do projeto, instalar o aplicativo e pronto: você “apaga” um pixel do monitor do seu computador. A cor preta nos monitores gasta menos energia para ser gerada do que a cor branca. Estudos comprovam, por exemplo, que se o Google trocasse a cor padrão de seu fundo de tela, do branco para o preto, economizaria 3.000 megawatts em todo o mundo, durante um ano.

O Greenpeace prova que, com este gesto, cada pessoa pode economizar 0,057 watts/hora. Até agora, segundo informações do site, foram economizados 2.624.461 watts. É como se 65.612 lâmpadas fossem desligadas durante uma hora. É ou não é uma mudança significativa?


Para participar, entre no site do projeto e instale o aplicativo, que funciona em monitores de tubo ou plasma.

Acompanhe aqui o vídeo sobre o projeto.

Inspire-se para começar a mudar o futuro do planeta com pequenos gestos!

 

Participe do Concurso Troféu Narciso http://migre.me/3qvIw

Fernanda Markus, estudante de Relações Públicas, trabalha na Bee Comunicação Associados.

, ,

Deixe um comentário

É cor de rosa-choque!

Recentemente foi divulgado um estudo que verifica qual é a presença das mulheres das Redes Sociais.

Até aí, podemos pensar que não há grande novidade. Mulheres são também maioria em salas acadêmicas, em empresas, no trânsito (e, ao contrário do que se diz, dirigem bem!).

Mas o fenômeno da participação delas nas Redes Sociais é um dado novo, que foge aos “achômetros” populares.

Confira aqui o estudo.

Os interesses femininos nas Redes Sociais não são tão diferentes de seus interesses na “vida real”.

Aproximadamente 75% delas dizem que usam as Redes para “manterem-se informadas sobre amigos e parentes”.

Elas leem e comentam sobre alimentos, saúde e bem estar, receitas e culinária, moda…

Não é à toa que cada dia mais vemos grandes empresas de segmentos femininos investindo no universo online.

O que aprendemos com tudo isso é que não devemos menosprezar nenhum grupo ou público. Quando achamos, por exemplo, que as mulheres não  ligam para carros, vemos grandes anunciantes fazendo propagandas dirigidas para elas. Isso tudo porque elas trabalham em grandes cargos, tem grande poder aquisitivo e merecem andar em carros tão legais e luxuosos quanto seus maridos, chefes, parceiros…

Como diriam os conectados, #fikdik (fica a dica)!


Acompanhe nosso Twitter! @beecomunicacao

E participe da promoção “Troféu Narciso” no blog do Maurício: @gillusboccattus


Fernanda Markus, estudante de Relações Públicas, trabalha na Bee Comunicação Associados.

,

Deixe um comentário

O preconceito embota a sensibilidade

Qualquer pessoa, medianamente inteligente, ao meditar sobre o tema preconceito, concluirá que se trata da mais completa insanidade. Ao julgar uma pessoa por sua cor, raça, sexualidade, nível social, vida íntima, etc., você se priva de usufruir de uma infinidade de momentos prazerosos.

Um fato bobo, acontecido durante um almoço com amigos na semana passada, serve como exemplo: falávamos sobre música e, em determinado momento, comentei que considerava a Amy Winehouse a maior cantora internacional surgida nas últimas décadas. Comparei-a às fabulosas Billie Holiday e Nina Simone, lendas do jazz e do blues, ambas negras e já falecidas. Amy é branca. As três são gêmeas de alma.

Dois dos presentes caíram de pau, alegando que se tratava de “uma bêbada e drogada”. Devolvi, querendo saber se já a haviam escutado. Responderam que “não iam perder tempo com uma figura deplorável dessas”.

Chama a atenção nessa estória, o fato de ambos serem empresários, um deles engenheiro e o outro economista.  Isso mostra que também é preciso tomar cuidado para não se ter preconceito às avessas, achar que alguém, por ter nível universitário, dispõe de percepção mais arejada.

Resolvi insistir: “que ameaça a Amy pode representar para vocês? Se ela se droga, a grande vítima é ela mesma. Porém, quando a ouvimos cantar, em vez de qualquer tipo de mal, ela nos proporciona momentos de imenso prazer”.

A partir daí, a discussão se tornou acalorada e, graças às colocações dos dois, pude constatar mais uma vez que o preconceituoso é, acima de tudo, um inseguro, o que ajuda a tornar seus frágeis argumentos, patéticos.

Se você, leitora ou leitor, não liga para essas tolices, vou lhe dar as dicas que não consegui passar para eles.

Como aperitivo, escolhi quatro interpretações de cada uma das ladies.

Billie Holiday:

Strange Fruit, Embraceable You, A Fine Romance, Am I Blue?

Nina Simone:

Don’t Smoke In Bed, I Put A Spell On You, Don’t Let Me Be Misunderstood, Ne Me Quitte Pas

Amy Winehouse:

Me & Mr Jones, Back To Black, Love Is A Loosing Game, Just Friends

Vale a pena procurar em loja ou na internet e escutar. Se você não abre mão de um drinque, prepare para acompanhar. Mas aviso desde já que não é necessário: as três musas por si só já são inebriantes.

Deixe um comentário